Tuesday, June 17, 2008

Meia-entrada para professores

Meia-entrada para professores em eventos culturais? Não consigo entender. Se é obrigação do Estado garantir o acesso do povo à cultura, então que garanta. Mas, num estado capitalista, obrigar estabelecimentos particulares a darem descontos significa fazer com que os não-beneficiários paguem pelos beneficiados. Num regime socialista, tudo bem, é papel do Estado. Mas num país em que umas categorias pagam e outras não, parece um privilégio injustificável. Meia-entrada para quem não pode pagar, isto sim. Desconto para quem tem baixa renda é uma boa idéia, desde que o Estado compense de alguma forma quem investe em cultura e é obrigado a dar os descontos. Ser estudante ou professor não significa não ter condições de pagar. Se alguém merece meia-entrada, são as pessoas de baixa renda, o que não é o caso de muitos estudantes e professores.

1 comment:

Pedro said...

E aí Tomás?
Sobre essa história de meia-entrada, o que eu acho mais incompreensível é porque oneramos o dono do estabelecimento cultural. Se é um “dever do Estado” ou da “população em geral” (arg) tornar possível certos segmentos da população assistir Rambo IV ou Patricinhas de Beverly Hills, por que só uma categoria da população tem que pagar a conta?

Independente do critério que se use pra decidir que grupos teriam o benefício, o pior é a injustiça de fazer o grupo que está provendo o serviço ainda fazer o papel do Estado.

E falando em capitalismo, não podemos esquecer que sempre existe alguma externalidade que afeta o sistema em questão. Nesse caso, como muita gente acaba pagando meia-entrada, os estabelecimentos são obrigados a aumentar o preço nominal do ingresso, já que é ele que está subsidiando diretamente os beneficiados. Os altos preços acabam prejudicando outras camadas da população. O que incentiva alguns a criarem documentos falsos pra ter o benefício. O que interfere no preço. Canso só de pensar nessas conseqüências.

Muito legal o blog! Keep posting.