Monday, July 28, 2008

Um livro que precisa ser lido


“Narrativas de um correspondente de rua”: quando li esse ótimo livro do jornalista Mauri König, repórter especial da Gazeta do Povo, de Curitiba, confesso que senti justificado o pessimismo de quem olha o ser humano com um sentimento de descrença, como é o meu caso. Mas há verdades que precisam ser ditas, publicadas e proclamadas. E há verdades que só podem ser ditas por homens corajosos. E só podem ser adequadamente ditas por quem tem talento. No livro, Mauri mostra que tem a coragem e o talento necessários para dizê-las.

Por outro lado, e um tanto contraditoriamente, a obra (uma coletânea de reportagens, a maior parte premiadas, todas sobre tragédias humanas) pode dar alento e trazer um certo otimismo na consideração de que há gente capaz de olhar essa triste realidade e denunciá-la – o que já pode ser um começo de mudança. No mínimo, certamente várias dessas reportagens mudaram as vidas de seus personagens. Se não podemos devolver ao oceano – como naquela conhecida historieta – todas as estrelas do mar que secam na praia sob o sol forte, poderemos fazer toda a diferença para aquelas poucas que conseguirmos lançar ao mar.

O livro é um tapa na cara dos indiferentes, um soco na nossa indiferença. A própria capa – tão terrivelmente chocante e creio que por isso mesmo escolhida pelo próprio Mauri – é uma bofetada na indiferença. Faço votos de que o livro seja muito lido e sirva para combater o tão difundido crime da indiferença.

(Para ler matéria sobre o livro no site da Gazeta do Povo, clique aqui)

Narrativas de um correspondente de rua
Mauri König
Editora Pós-Escrito
Instituto Cultural de Jornalistas do Paraná
Universidade Positivo
Gazeta do Povo
336 páginas
R$ 30,00


3 comments:

Vanessa Ribeiro Mohtadi said...

Oi Tomás, tudo bem? Fiquei muito interessada no livro, valeu a dica. E aproveitando, parabéns pelo blog, que é muito interessante.

Um abraço,
Vanessa

Tomás Barreiros said...

Olá! Há quanto tempo! Obrigado pelo comentário!
Forte abraço,
Tomás.

Anonymous said...

Realmente um ótimo livro que deve ser lido e pensado. Como pode, em pleno século XXI, ocorrer ainda os fatos narrados pelo autor?
Noara